A menina Raquel tem apenas um ano e meio de idade e estava com desnutrição aguda quando o Projeto Conhecer para Nutrir chegou ao município de Barreiras, na Bahia. Sua família vive em condições precárias na região urbana da cidade. A mãe, divorciada aos 33 anos, tem mais três filhos. Com Ensino Fundamental incompleto, ela trabalha em casa como costureira, o que gera uma renda mensal de apenas R$ 500. A renda da família é menor que um salário mínimo.

Em novembro de 2014, Raquel passou por uma triagem na Unidade Básica de Saúde (UBS). Durante o atendimento, foi constatado que a criança se alimentava apenas de leite integral dissolvido na água com açúcar e com engrossante, e não tinha sido alimentada com leite materno. A menina pesava apenas 8 quilos, peso abaixo da média para sua idade.

Após passar por exames médicos, a desnutrição foi constatada. Os índices dos componentes de seu sangue estavam alterados. A mãe relatava que a criança não tinha apetite e acabava não comendo. A UBS local não tinha médicos pediatras que pudessem atendê-la. Então, Raquel foi encaminhada a um clínico geral, que fez o acompanhamento de seu caso.

Graças às consultas e à orientação do Projeto Conhecer para Nutrir, a mãe começou a inserir alimentos variados ao cardápio de casa, como legumes e frutas. O apetite de Raquel foi aumentando aos poucos e ela já pesa, hoje, mais de 10 quilos. “Eu gostaria que as pessoas entendessem o quanto o Projeto é bom para a nossa vida. Nunca tivemos esse tipo de orientação. É ótimo não só para a minha filha, mas para todas as crianças da região”, relatou a mãe.

O Projeto Conhecer para Nutrir
O Projeto contribui com a saúde e a nutrição das crianças de 0 a 5 anos, promovendo a articulação entre governo e sociedade civil, capacitando Agentes Comunitários de Saúde, Cozinheiras e Merendeiras de Escolas de Educação Infantil e membros do Conselho de Alimentação Escolar, para promover hábitos saudáveis e a valorização de alimentos regionais.